CONTATO: unistaldense@hotmail.com

A EDUCAÇÃO NO CAMPO



Partindo do pressuposto da preocupação do êxodo Rural em nosso país, trazemos um importante Diagnóstico escrito pelo Professor ANDRIO SANDER RODRIGUES VIANA ( Graduado em Licenciatura em História e Licenciatura em Geografia Pós Graduando em Metodologia do Ensino de História e Geografia e Acadêmico do Instituto Federal Farroupilha Campus Jaguari  Licenciatura de Educação do Campo: Ciências Agrárias), que vem certamente ao encontro de muitos educadores e gestores da educação;

DIAGNÓSTICO E CONTEXTUALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO DO CAMPO.
A política de educação do campo por décadas foi esquecida e o campo se tornou atrasado e desatualizado com o passar dos anos começamos a ouvir e presenciar falas, concepções sobre as questões relacionadas ao campo. Agora percebo que essa educação esta chegando em muitas de nossas escolas, mas penso que ainda temos uma grande luta pela frente por muitas questões, sejam elas metodológicas ou até de aceitação pelos profissionais da educação que precisam acreditar nessa nova fase da educação do campo como alternativa para recuperar essa divida com as populações camponesas.

Os sujeitos sociais excluídos precisam ser contemplados nas políticas públicas, pois, existe uma dívida histórica para com estas pessoas, e um dos direitos mais importantes, que lhes foi negado ao longo dos tempos é o direito à educação. Para isso, como assegura Damasceno (1993),

A Educação do Campo esta passando por diversas mudanças, as políticas voltadas a Educação do Campo direcionam-se para novos caminhos, com expressivo movimento pedagógico e experiências escolares colocadas as raízes populares as matrizes culturais do povo do campo. A educação escolar ultrapassa a fase “rural”, da educação escolar no campo e passa a ser do campo. Precisamos  de reestruturar o currículo do campo que deve ter como objetivo construir e consolidar a política da educação.
Caldart (2004) destaca que mais que o direito da população ser educada no lugar onde vive, precisa ser respeitado o direito a uma educação pensada desde o seu lugar e com sua participação, vinculada a sua cultura e as suas necessidades humanas e sociais. O processo de valorização de sua cultura incentiva os sujeitos do campo a pensar e agir por si próprios, assumindo sua condição de sujeitos.
Nome: ANDRIO SANDER RODRIGUES VIANA

Graduado em Licenciatura em História e Licenciatura em Geografia Pós Graduando em Metodologia do Ensino de História e Geografia e Acadêmico do Instituto Federal Farroupilha Campus Jaguari  Licenciatura de Educação do Campo: Ciências Agrárias.



Nenhum comentário: